Livro: Antes que o Tempo Acabe
Autor: L. A. Melo
Editora: Young Editorial
Páginas: 296
Tempo de leitura: 1 mês

Nota: 10

SINOPSE: Claire Withley, uma eximia nadadora, tem uma vida aparentemente perfeita e está prestes a subir mais um degrau em sua vida profissional quando uma terrível doença cruza o seu caminho. Com a estimativa de oito meses de vida, sem seu namorado e com os laços da família se corroendo, ela terá apenas a companhia de Lisa e Albert Louis “Alo” Watson, um misterioso estudante de psicologia que a conhece por intermédio de duas perguntas: Claire viverá o tempo que lhe resta em forma de grandes aventuras ou abdicará de seus direitos se entregando totalmente para dor? Ela terá que conhecer a si mesma para responder as duas perguntas que lhe assombram, antes que o tempo acabe.

O QUE É ISSO BRASEEEEEEL? Como foi difícil pra mim chegar no final desse livre, adiei o máximo que pude, mas o fim chegou e chegou destruindo todo o meu emocional. É claro que eu já li outros livros com fins tristes, mas esse me pegou num momento bem sensível e por isso a demora para terminá-lo :(

Claire é uma adolescente de 16 anos, é uma nadadora espetacular, porém sua maior paixão é a pintura, passando por cima de sua mãe que a proíbe de ter contato com qualquer arte (por uma frustração quando nova). Ela namora com seu treinador, Hank, maior babaca que você respeita, que na verdade só quer se tornar um treinador conhecido, já que Claire tem um futuro promissor na natação. Ou achava que tinha.

Em um belo dia enquanto pintava suas telas escondido, um garoto toca a campainha, tirando-a do seu refugio. Ao atender a porta, ela descobre que é um estudante de psicologia fazendo uma pesquisa. Ao ser perguntada se era feliz e se era livre, ela começa a achar aquele garoto bem maluco, ela nem sabia o nome dele. 
"– Bem vamos lá… Você é feliz? – Questionou-lhe."
Albert Louis Watson, esse era o nome do garoto misterioso, ou melhor Alo, como gostava de ser chamado. Após esbarrar com Claire, eles são apresentados oficialmente e algo mais começa a nascer entre os dois. Por ironia do destino o pai de Alo, o Dr. Watson é o médico da família há anos (por isso ela acha ele tão familiar).

Lisa é a melhor amiga da nossa protagonista e se tem uma coisa em que eu posso me identificar com ela é o desejo de sempre comer bolinhos, não importa em qual momento. Ela é peça chave para todas as surpresas que virão a seguir na vida de Claire.

Após um acidente em uma competição, Claire descobre que tem uma doença em estado avançado: a ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) e que lhe resta apenas alguns meses de vida, e todo um futuro brilhante fui levado por água abaixo. Mas nada muda o fato de que Claire quer viver a vida intensamente (ou pelo menos o tempo que lhe resta), ao lado de Lisa e Alo, Claire vive momentos únicos e sempre nos mostrando um jeito novo de viver a vida, mesmo quando temos obstáculos no caminho.

Podemos observar o amadurecimento dos personagens e acima de tudo, toda essa transformação da família e dos amigos após o diagnostico. Vemos também a importância dos personagens secundários para o desenrolar da história, por exemplo a mãe de Claire, dona Irene que sempre proibio a filha de ter contato com nenhum tipo de arte e que depois de descobrir a doença da filha, pôde entender o quanto aquilo a afetava. Uma coisa que eu gostei bastante no livro é esse vinculo familiar fortíssimo que a protagonista tem com a irmã mais nova Katie e a avó Alicia, que eu me identifiquei muito.

O livro inteiro me mostrou uma Claire forte, que não desistiu nenhum momento, que não culpou ninguém pela sua doença, aceitou e lutou até o fim, nos mostrando que a vida nem sempre precisa ser preto e branco, que um pouco de cor sempre é aceitável, que por trás de suas obras de arte nos transmitiu emoções e sentimentos. A história é narrada principalmente em 3ª pessoa, porém em alguns momentos é narrada por Alo e Claire, a cronologia também é um ponto forte, a história teve seu tempo, seu ciclo começou e chegou no final com todos os laços amarrados. Como eu li por Ebook (enviado pelo meu querido amigo e autor Lucas Melo) só posso falar da diagramação dele, e eu achei uma edição muito boa mesmo, vi um ou dois errinhos e só, até o fundo da folha eu adorei.

Para finalizar deixo vocês com uma quote linda e de partir o coração, porque foi isso que eu senti quando finalizei -em prantos- a história, então até a próxima resenha, beijos :*


"Eu poderia ser a garota mais triste do mundo neste momento, mas não sou porque tive ao meu lado pessoas que me tornaram feliz e não de forma relativa – ela começa – Pessoas como Lisa que fez de tudo para me manter com o sorriso erguido sempre e sempre, pessoas como minha avó que tinha os seus próprios problemas, mas se preocupou em tentar resolver o meu… Pessoas como meu tio que me aconselhou naquela noite em que eu precisava de um conselho, pessoas como Melissa que nem mesmo me conhecia, mas pôs em risco seu emprego para encontrar uma cura sem ter sucesso, como meu pai que mesmo mudando de tal forma ainda, me deixou a sua sombra até o fim, como Katie que com seu jeito puro pediu que eu não ligasse e que eu ficasse feliz, como minha mãe que se tornou a melhor mulher e mais guerreira deste mundo e como você que apareceu em minha vida em um momento de crise, a, pegou de cabeça para baixo e me ajudou a reconstruí-la como prometeu. Sim eu sou feliz! – Ela responde e sorri."

Livro: Poder Extra G
Autora: Thati Machado
Editora: Astral Cultural
Páginas: 239
Tempo de leitura: 4 dias
Nota: 10

SINOPSE: Nina não é uma mulher de tipos. E não apenas por causa dos seus noventa e dois quilos. Nina tem atitude e amor-próprio. Talvez não nessa ordem, mas quem se importa? Ao namorar Marco, ela achava que estava subindo mais um degrau rumo ao topo de sua autoestima. É claro que alguns sinais lhe alertavam do contrario, só que o ego pode ser bastante ensurdecedor quando nos convém. Depois de se dar conta da farsa que era o seu relacionamento. Nina deixa sua vida em São Paulo e parte rumo a Buenos Aires, para um mês regado a argentinos sedutores e muito doce de leite. Ela só não esperava que o país dos hermanos pudesse lhe trazer muito mais do que uns quilinhos extras.

Que a Thati Machado é uma das minhas autoras nacionais vocês já devem saber não é? Eu já tinha começado a ler PEG no Wattpad e fiquei mega feliz quando descobri que ia ser publicado fisicamente e mais feliz ainda quando o blog foi selecionado para o book tour. E como toda história que essa querida autora publica, preciso dizer que esse livro entrou para a minha lista de melhores leituras ever (finjam que essa lista realmente existe!), porque realmente é uma leitura MARAVILHOSA.

Nina é tradutora e revisora, ganha a vida lendo livros e é a personagem mais autoconfiante que eu conheço seus noventa e dois quilos não a abalam e ela literalmente não liga pra sua opinião. Após o término do namoro com o Marco (maior embuste que você respeita), Nina resolve passar um mês em Buenos Aires, nada melhor que conhecer alguns argentinos sedutores e quem sabe conseguir um sexo casual para curar essa dor de cotovelo que ela estava sentindo. Sim, nossa protagonista é fã de um sexo casual, porém o destino fez o que ele sabia fazer de melhor, disse quem mandava.

Foi nesse momento que ela conheceu Nico, um argentino muito, muito, muito respeitoso e que com o poder de dizer o nome de Nina de uma forma suave e sensual. Nico é um argentino nato, dono de uma livraria no centro da cidade (e dono de um sotaque muito excitante também!). A sintonia dos dois foi quase que instantânea e Nina mal acreditava nisso, havia encontrado um homem que a valorizava e que demonstrava carinho e consideração por ela, algo que ela nunca havia sentido com nenhum outro homem, será que agora ela seria realmente feliz?

Após o terceiro encontro Nina se vê diante de uma crise familiar na família de Nico e então ela conhece Noah, irmão mais novo de Nico. Noah tem transtorno de identidade de gênero, ele era um homem, mas havia nascido menina e o jeito que Nico falava do seu irmão, com tanta ternura fazia Nina admirar ainda mais aquele homem, e claro ela não achava que o Noah fosse uma aberração (como todos achavam).

Nina não parava de pensar como seria depois que suas férias acabassem e ela tivesse que voltar pra São Paulo, nada na sua vida parecia à mesma depois que ela conheceu Nico. As semanas passam e Nina tem a certeza que ele era o homem certo, e as cenas dos dois ficam cada vez mais fofas e me fizeram suspirar diversas vezes (em todos os sentidos).

Marcela é umas das melhores personagens, em minha opinião, sendo melhor amiga da protagonista ela é apelidada pela própria de ‘Caixa Torácica Vazia’ já que ela nunca se apaixonava por ninguém, se mostrou uma mulher forte, independente e muito carinhosa. Imaginem eu surtando quando a Marcela ficou com o Noah (imaginaram?), porém o futuro reservou novos amores para essa dupla e essa é outra história! Sendo tão bem resolvida em seu manequim 48 e com suas neuras do amor, Nina nos mostra que os ‘Padrões de Beleza’ não estão com nada e não tem nada de errado em comer medialunas com doce de leite!

“Santo Protetor das Obesas Gostosas e Bem Resolvidas: ajudai-me!”


Após voltar para São Paulo, os pais de Nina resolvem lhe contar um segredo que acaba virando numa verdadeira novela mexicana (e olha que Nina realmente gostava dessas novelas). Encontrar com Nícolas após um término de um relacionamento conturbado não estava nos planos da nossa protagonista, mas a partir desse encontro tudo em sua vida muda e graças a Deus pra melhor, coisa que Nina realmente merecia.

Cada personagem foi essencial para o crescimento pessoal de Nina e o final dessa história não poderia ter sido mais perfeita, queria já agradecer a Thati e parabenizá-la por esse livro presente incrível e inspirador, é um livro que nos faz refletir e que me emocionou diversas vezes, me identifiquei em algumas cenas e suspirei em outras. Podemos observar que a autora abordou temas importantes e com delicadeza como: empoderamento, abandono, adoção, respeito pelo próximo, discriminação e acima de tudo muito amor próprio.

A diagramação do livro é linda, os capítulos são bem divididos e tudo esta alinhado certinho, vi alguns errinhos de ortografia, mas nada que atrapalhe a leitura. O Noah já ganhou um livro só dele chamado 'Singular' e já está disponível para venda aqui e a Marcela também irá ganhar um spin-off. Mais alguém ansiosa como eu? Fala ai nos comentários! ❤️

É isso gente, espero que tenham gostado e eu super recomendo essa leitura e mais uma vez obrigado Thati, você é um amor. Até a próxima ❤️


Oie gente, faz tempo que eu não trago novidades, pois é, essa vida está muito corrida e está bem difícil administrar faculdade, vida social e blog, mas devagar a gente chega lá, não é mesmo? Hoje eu venho falar sobre um projeto muito legal aqui de Aracaju.

Criada pela Dra. Ivna Ariane, a Biblioteca Livre começou quando ela percebeu que havia livros demais em sua estante e mesmo sendo uma leitora ativa, decidiu dividir com outras pessoas o prazer da leitura. "Comecei a perceber que cada vez eu tinha menos espaço para organizar novos livros. Outra questão, sempre presente, era uma forte inquietação diante do desperdício de ler algo e deixar aquele material incrível ali, parado, sem dar a possibilidade de outras pessoas lerem. Dificilmente, lemos um livro mais de uma vez, exceto os técnicos. Por mais que emprestasse a pessoas próximas, eles voltavam e ficavam na estante, inertes, envelhecendo" (via Vip).



O projeto começou a se desenvolver em 2016 onde a Ivna separou alguns livros e deixou na sala de espera do seu consultório com um bilhetinho: *Você pode pegar qualquer livro e levar pra casa, e se quiser ajudar traga outro livro para que outras pessoas também tenham a possibilidade de levar um livro novo para casa* para que os pacientes que chegassem pudem ver. Você pode levar qualquer gênero e autor (menos livros didáticos: como livros de escola ou da faculdade) e pode trocar pela quantidade de livros que você levou, ou se quiser doar os livros. Genial essa ideia não é?

Eu tive o maior prazer de conhecê-la e preciso contar que ela é uma amor de pessoa e sua ideia é inspiradora, e claro tive a oportunidade de perguntá-la como psicologa, se ela acha que a leitura acaba ajudando as pessoas a passar pelas dificuldades e a resposta dela foi essa: "Como psicóloga vejo a extrema e significativa diferença entre pacientes leitores e não leitores. Os leitores compreendem melhor o que é proposto na terapia, tem mais criatividade, espontaneidade. Diante destes e de outros benefícios da leitura, o processo de ressignificação de suas vidas tem resultados incríveis", relatou.

Os interessados no projeto, devem ir ao Centro Médico Jardins - Aracaju, sala 1106 e levar um ou mais livros e escolher outro (s) pelos qual (is) tenha interesse em ler. O Centro Médico Jardins está localizado na Avenida Ministro Geraldo Barreto Sobral, 2131, bairro Jardins, prédio vizinho ao Hospital Primavera. Para palestras, eventos e parcerias entrar em contato pelo instagram: @aracajubibliotecalivre, pelo telefone (79) 99956-6754 ou pelo email ivnariane@hotmail.com.

E é isso gente, fiquei muito feliz de poder conhecer esse projeto que já conheço e considero pakas e desejo a minha querida amiga Ivna muito sucesso e que ela possa trazer ainda mais paixão e alegria pela leitura aos seus pacientes e às pessoas que conhecem seu trabalho. Espero que vocês tenham gostado tanto quanto eu, e qualquer dúvida ou conselhos, deixem aqui nos comentários ou falem diretamente com a Ivna pelos contatos ali em cima, deixo aqui pra finalizar os livros que eu troquei e que alguns eu já desejava a um bom tempo 🙌😊


Livro: Quando a Bela Domou a Fera
Autora: Eloisa James
Editora: Arqueiro
Páginas: 311
Tempo de leitura: 2 dias
Nota: 10

SINOPSE: Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher. Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas. No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?

Calma, deixa eu respirar fundo aqui e colocar minha cabeça no lugar. O QUE FOI ESSE LIVRO? Sério, estou estagnada aqui tentando organizar meus pensamentos e confesso que está sendo bem difícil. Há algum tempo venho querendo ampliar minhas leituras e acabei percebendo que eu não lia tantos livros de época assim, principalmente os romances avassaladores, e esse livro eu ganhei em um sorteio do evento Romances de Época da editora Arqueiro, e estou amando. Voltando ao assunto principal, Quando a Bela Domou a Fera é um daqueles livros que você devora sem vê a hora passar e quando acaba bate aquela velha BAD literária hahaha. É uma releitura da famosa obra A Bela e a Fera, e seu protagonista é inspirado no amado/odiado Dr. Gregory House (aquele mesmo lá da série!), legal né? Também achei 😊

A narrativa é contada em terceira pessoa e conta a história de Linnet Berry Thrynne, uma jovem de 23 anos com uma beleza extraordinária, pele perfeita, olhos brilhantes e cabelos ruivos que viu sua reputação ir por água abaixo quando a viram beijando o príncipe Augustos e os boatos de uma gravidez a deixa muito furiosa. Como diz aquela velha lei de Murphy: "Nada é tão ruim que não possa piorar", para o caso da nossa protagonista até seu pai achava que ela era uma promiscua (algo que ela tinha puxado da sua falecida mãe) e que sua beleza era na verdade uma maldição. Seu pai era o visconde de Sudon, mas não era influente, esse era um fato importante na sua vida, e só de pensar que sua filha estava grávida o deixava horrorizado.

Mas a verdade era que Linnet NÃO estava grávida e muito menos havia se deitado com o príncipe, tudo não passava de um mal entendido por causa de um vestido estupido que ela usara no baile, porém agora já era tarde, toda a cidade (e quem sabe até Londres) sabiam que ela estava arruinada. E agora? O que fazer pra mudar isso?

É nesse momento que sua tia resolve criar um plano (que diga-se de passagem, era bem maluco) para que Linnet arrumasse um marido e então pudesse assim recuperar sua reputação. O que nenhuma das duas esperavam era que o pai concordasse com a loucura que era o plano e incrivelmente a deixasse ser levada sozinha para um país desconhecido.

Piers Yelverton, conde de Marchant, era um médico arrogante, presunçoso e que possuía uma língua afiada, seu temperamento curto e sua insensibilidade o fazia ser temido por todos a sua volta, menos é claro, por Prufrock seu mordomo e por seu primo Sébastien. O conde tinha um relacionamento conturbado com seu pai, o duque de Windebank, portanto tudo que envolvia ideias e sugestões vindas do seu pai, Piers desdenhava e desprezava. Depois de 26 anos o duque apareceu de surpresa no castelo, trazendo a tira colo uma futura noiva para o filho, Linnet.

(Abrindo um parêntese aqui pra dizer: QUE HOMÃO É O PIERS! Fim!)

Piers e Linnet são dois cabeças duras e competitivos, de um lado ela tenta seduzi-lo com sua arma mais valiosa: seu sorriso, porém, do outro lado essa arma aparentemente não causa nenhum efeito na fera, ele o odeia. Após sofrer uma ciente quando era pequeno, Piers carrega uma dor angustiante na perna e isso faz com que ele ande por ai com uma moleta. O mais legal é ver os dois em uma disputa secreta de quem é o mais desinteressado nesse noivado, em alguns momentos eu desejava ser a Linnet só para vê o conde nadar todos os dias de manhã na piscina fria do mar e me enlaçar no seu corpo quente 🔥

Aos poucos vamos conhecendo mais da personalidade dos dois e vendo aos poucos um amor forte, possessivo e delirante surgir, mesmo que nenhum dos dois deem o braço a torcer. Ps: cuidado com as cenas da Casa de Guarda (vou logo avisando!).

Os personagens secundários são bem construídos e super importante para o desenvolver do livro. A narrativa é fluida e apesar de ser um romance de época a escrita é bem simples e leve. Percebe-se uma mescla de pureza e momentos hots que estamos acostumados na maioria dos romances de época. A personagem que eu mais gostei e que me fez rir muito foi a mãe de Piers, a duquesa Marguerite, uma mulher independente, forte e carismática (e bem louquinha).

Esse é o primeiro livro de uma série que são releituras de contos de Fadas e que já foram confirmados pela Arqueiro que serão publicados:




E ai gente? Curtiram a resenha? Deixem aqui em baixo nos comentários o que vocês acharam e se foi só eu quer fiquei desejando um conde desse na minha vida pacata! Beijos e até a próxima ❤️

Livro: As Voltas que o Mundo Dá
Autora: Thainá Alexandre
Editora: Chiado
Páginas: 439
Tempo de leitura: 2 dias
Nota: 8

SINOPSE: A vida é feita de fases e Mônica Garcia já provou de algumas delas. Umas foram tranquilas e doces, outras agitadas e pavorosas, mas nenhuma se compara com a que começou há um ano, pois essa durará sua vida inteira. Mônica é a prova viva da imprevisibilidade da vida. Desde o acidente que tirou sua visão, ela se sente totalmente desmotivada e depressiva. Afinal, como fazer as coisas que ama se não pode enxergar? Parece que sua vida vai se resumir para sempre em escuridão, um quarto e algumas conversas com seu melhor amigo Hélio. Ah! Pobrezinha da Mônica. Ela ainda não sabe o quão surpreendente podem ser as voltas que o mundo dá.

Gente eu ainda estou assim *O* com esse livro, quanta sutileza, quanta superação e quanto amor nume leitura só, juro que essas 439 páginas foram devoradas e quando acabou eu ainda queria mais! Bom, sem mais delongas vamos a resenha!

Mônica era uma adolescente normal como todas as outras, eu disse era, até que um belo dia andando com seu então namorado Júlio, ela perde a visão em um tiroteio na cidade e depois disso tudo muda (os médicos disseram que talvez com uma cirurgia ela poderia voltar a enxergar, porém a família de Mônica não tinha dinheiro). Sua antiga vida parece ter sido a milênios atrás, seus amigos se afastaram e ela tenta ao máximo de adaptar a nova vida e tenta ultrapassar os próprios obstáculos. Como sua rotina agora havia mudado, agora ela estudava em uma escola para cegos, onde havia feito amizade com Hélio.

Após um ano do seu acidente, Mônica e sua família já estavam se adaptando melhor e ela conhece Eduardo. Eduardo é irmão mais velho de Hélio e estuda Educação Física, conseguiu um estágio de verão na Associação onde Mônica estuda (apesar de já ter se formado no colegial e ter 19 anos, ela precisou começar a estudar braile, por isso ela frequentava a Associação diariamente), e apesar da coincidência de nomes (alô Legião Urbana) eles também eram completamente diferentes.

Mônica é engraçada, sarcástica, não desiste de uma luta, enquanto enxergava ela amava pintar, ler e escrever, mas após a perda da visão ela deixou isso de lado achando que nunca mais seria capaz de fazer tais coisas, quando ela e Edu se aproximam ela nem imagina o quanto estava errada. Conviver com Eduardo trazia paz e alegria, um novo futuro que ela não acreditava mais, e um final pra lá de emocionante.

A diagramação do livro é ótima (na minha opinião aqueles parágrafos me salvaram), a capa é linda, o enredo e lindo e a escrita também e maravilhosa, na edição tinha pouquíssimos erros, quase imperceptíveis. A editora realmente fez um ótimo trabalho! 

O jeito que a Thainá desenvolveu a história é muito viciante, eu não conseguiu parar de ler e de tentar chegar no final pra vê se aquilo que eu imaginava realmente iria acontecer, o crescimento pessoal da personagem é inspirador e a autora soube tratar de um assunto delicado com muito amor e maestria, parabéns Thainá pelo livro lindo, realmente me emocionou ❤️

É isso gente linda, pra quem gosta de romance com final feliz super recomendo esse livro, sério... Quem não gosta de final feliz? Até a próxima 😚