Livro: Osíris - Deus do Egito
Autor: Marcelo Hipólito
Editora: Marco Zero
Páginas: 160
Tempo de leitura: 10 dias 

SINOPSE: A saga dos deuses egípcios ressurge num épico de feroz realismo, assombro e dor. O nascimento e a vinda de Osíris, fundador da civilização, messias e rei. A ascensão e queda do primeiro reino humano. A traição, o calvário e a ressurreição de um faraó. Sua guerra implacável e a terrível vingança. Um mundo de magia e pavor, deuses e demônios, ação e aventura, vida e morte, ergue-se das areias escaldantes e misteriosas do Egito Antigo neste romance do escritor Marcelo Hipólito. Com base em cuidadosa pesquisa histórica e mitológica da milenar cultura egípcia, Osíris-Deus do Egito resgata lendas e tradições forjadas na aurora do tempo e da barbárie.

Osíris, O Messias. Aquele que veio espalhar a Boa Nova pelo Egito, numa época em que o mal se espalhava como peste percorrendo as margens do Nilo. É nesse meio que somos apresentados a uma leitura digna dos antigos Deuses, recheada de descobertas, aventuras, intrigas, traições e morte históricas que circundaram toda uma civilização, que cresceu e sucumbiu tornando-se uma das maiores potências do Antigo Mundo.

Na primeira parte do livro o autor nos mostra a criação de Atum, Completo e Eterno, Tudo e Nada, de onde viemos e para onde retornaremos. Dele criaram-se os Neteru, o Nu (água escuro do Caos e das Trevas), as Deidades e finalmente Rá, o Deus-Sol. Satisfeito com sua criação, uma lágrima caiu dos olhos de Atum e assim surgiu o Homem, nascido para se multiplicar sobre a Terra. Tramando sua vingança contra o exilio que Rá criou o deus-sapo Amen e a deusa-serpente Heh, conceberam Apep, o Destruidor, a Serpente do Caos, Aquele Que Tudo Devora. Também somos apresentados a Silene, a Deusa da Lua, Nut, Deusa do Céu, Thoth, Deus da Sabedoria e Geb, Deus da Terra, todos irmãos do Deus-Sol dotados de uma beleza comunal. Após lançar-se contra a barca de Rá, Apep travou uma longa batalha e esse foi o eclipse primordial (o mais longo e terrível eclipse jamais observado). Depois de descobrir a traição da sua esposa Nut e do seu irmão Geb, Rá lança os bebês na direção da Terra.
Os cinco deuses-bebês são apresentados com anos de diferenças e de acontecimentos. O primeiro a atingir a Terra foi Hórus, o Deus Falcão, espirito livre e de bom coração, após receber uma mensagem da sua mãe parte a procura de Osíris que corre perigo. Osíris foi o segundo a cair, nascido de uma mãe monstruosa que estava prestes a devorá-lo quando foi surpreendida por Pamyles, um jovem guiado por Hórus para criar e proteger aquele que viria a ser a salvação do Egito. Seth foi o terceiro, o Perverso, o Usurpador, o Nefasto, o Profano, o causador de todo o caos que sondava o antigo Egito, sua alma era de tamanha perversidade que possuía pelo seu irmão um ódio mortal e estava disposto a fazer qualquer coisa para se tornar rei. Sete anos após o nascimento de Osíris, nasceu Isís, dona de uma sabedoria tão bela quanto à do próprio Thoth, foi à quarta deusa a nascer seguida por fim, pela sua irmã caçula Néftis que desde pequena inibia suas habilidades e seus conhecimentos divinos. No meio termo de cada nascimento, vemos as condições bárbaras em que seus familiares viviam, saqueadores, estupradores e canibais faziam parte de um cenário devastador.

Na segunda parte, Pamyles e Osíris viajam pregando a Boa Nova por todo o Egito, acumulando seguidores e inflando ainda mais o ódio de Seth. Após casar com sua irmã Ísis e construir um Delta nos arredores do Nilo, Osíris vivia em paz com seu povo e se sentia orgulhoso do que construíra. Após um pesadelo, Isis sai em busca do nome verdadeiro de Rá para proteger o marido e com a ajuda da irmã coloca seu plano em ação. Seth fingindo arrependimento pelos seus atos acolhido pelo irmão foi nomeado regente por Isis e logo pode colocar seus planos malignos em ação. Grávida de Osíris, Néftis esconde sua gravidez do marido Seth após ser trancada em um calabouço após a morte de Osíris, o único e verdadeiro soberano da Terra.

Na terceira e última parte, após a morte do marido, Ísis, disposta a ressuscitar seu grande amor percorre todo o Egito até encontrá-lo esculpido em forma de pilar em um palácio. No meio tempo, Néftis dá a luz a Anúbis, Deus-Chacal. O reencontro das duas irmãs é emocionante e juntas partem em busca dos restos do Deus que foi estraçalhado em 14 partes por Seth e lançados por toda a extensão do Nilo. Osíris se tornou a primeira múmia e num súbito momento o espirito de Hórus penetrou o útero de Ísis, e então Osíris ressuscitou e seu herdeiro viria vingar sua morte.
Sou suspeita para falar sobre livro de Deuses e principalmente se tratando dos egípcios, eu sou completamente apaixonada por qualquer tipo de mitologia e eu tive um prazer degustativo ao ler esse livro, como leitora o livro foi um presente de conhecimento, uma enciclopédia dos deuses, literalmente falando. Com diálogos suficientes e precisos, é um livro que tem o intuito de informar e transmitir as histórias da criação e destruição dessa civilização cercada por Deuses e monstros. Os cinco deuses nasceram para trazer glória ou ruína a este mundo, e conseguimos acompanhar cada deus em sua jornada e seu principal papel nessa história. Eu me encantei ainda mais por Hórus (que sempre foi meu deus favorito), que se sacrificou para salvar seu irmão Osíris e proteger sua família.
Eu nem preciso dizer o quanto eu gosto da escrita do Marcelo, ele me encantou com O Mago de Camelot e ainda mais com Osíris, Deus do Egito. Uma leitura rápida e prazerosa (já disse que sou suspeita para falar!). A diagramação do livro é ótima, a única coisa que eu não gostei muito foi da folha branca, que pra quem assim como eu sofre de DDA e dislexia é um sacrifício. E uma pequena coisa também que me incomodou foi a mistura das histórias em relação à cronologia dos fatos, uma hora falava de Seth outra de Hórus, depois voltava para Seth, enfim... Mas dá pra seguir o livro sem problemas, só prestar atenção nos fatos.

“Nesse dia sagrado, o Messias ressuscitará os puros de coração e reclamará a Terra aos justos, para torná-la novamente um paraíso sob Rá. E Hórus travará com o maligno Seth sua batalha final e o vencerá. E a alma de Seth será a última lançada aos demônios, antes de eles lacrarem o Abismo pela eternidade. O fim do mundo, conforme anunciado por Hórus em seus últimos dias. E Apep engolirá Rá, e somente o brilho de Osíris resplandecerá sobre os solos e mares, benção derradeira do Messias. Louvado seja Osíris, Rei dos Homens, Deus do Egito!”

Então é isso, espero que gostem e me digam quais mitologias vocês gostam, beijos :*

Deixe um comentário